IntellCorp: a verificação de antecedentes ou “background check” do candidato a emprego


Sempre que a sua organização pretende contratar alguém tem duas formas de o fazer: utilizando os seus próprios meios ou recorrendo a uma empresa de Recursos Humanos. Em ambos os casos torna-se imprescindível uma verificação da sua idoneidade, se é alguém em quem se possa confiar e a sua capacidade de manter a devida reserva de assuntos extremamente delicados como as questões internas da empresa e dos antecedentes do candidato bem como da veracidade das suas declarações e documentos.


Infelizmente, anualmente os prejuízos causados às empresas e às economias nacionais mundiais por empregados com distúrbios de personalidade são imensos. Estudos apontam para que actualmente 6% da população mundial sofra de distúrbios de personalidade. A título de exemplo, no Reino Unido, um estudo do King’s Fund revelou que em 2008 o gasto do Estado e empresas que enviaram indivíduos para tratamento se situou nas £704milhões e que, se levado em conta o factor perda de produtividade, o prejuízo estimado para as empresas e economia nacional se situava nas £7,9mil milhões.


Psicopatas corporativos, mitómanos e mentirosos compulsivos, histriónicos, narcisistas, maquiavelistas e obsessivos-compulsivos são apenas alguns dos distúrbios muitas vezes camuflados. Estudos recentes referem que em grupos largos de amostras positivas (indivíduos testados e com distúrbios de personalidade comprovados) existe uma proporção de três (3) elementos TipoR – resistentes a qualquer tratamento, pois não reconhecem estar doentes – para um (1) elemento TipoS – que reconhece estar doente e procura activamente tratamento. Acresce que estudos da Universidade de Surrey demonstraram que três (3) entre onze (11) dos mais problemáticos distúrbios de personalidade são mais comuns em executivos do que em criminosos condenados.


São especialistas em evitar perguntas complicadas, contornar os assuntos, justificar as suas faltas e falhas, empolando as suas supostas virtudes muitas vezes sob uma capa de modéstia aliada a um ego desmedido que simultaneamente os faz parecer o candidato ideal em entrevistas e simultaneamente atrai quem eles reconhecem útil para os seus objectivos (chefias) e intimida quem se apercebe dos seus verdadeiros intentos (geralmente os colegas que lhe são menos úteis).


As razões que os motivam a continuar são o medo de ser descobertos; receio de censura pelos pares, família, amigos e sociedade, entre outros e os danos que podem causar podem passar por danos à imagem da empresa junto do mercado; clientes; parceiros comerciais; operações; estrutura interna da empresa e moral dos empregados e podem mesmo chegar ao extremo de conseguir arruinar a empresa.


Outras razões mais comuns dos candidatos a emprego para mentir e recorrer a falsificações de documentos são muitas vezes tão simples como o desespero e insegurança e a simples necessidade de garantir um posto de trabalho e meios de subsistência.


Pelas vulnerabilidades que indivíduos com estas características representam para as organizações e empresas, em especial quando a lidar com matéria sensível como informações apenas acessíveis a executivos, torna-se necessária uma verificação para o acesso a um emprego em determinadas organizações as próprias organizações muitas vezes são obrigadas a utilizar exclusivamente indivíduos que atravessam este processo de vetting.


Sendo essencialmente uma verificação de antecedentes ou investigação desses antecedentes o termo refere-se ao processo de procurar, compilar e verificar vários tipos de registos: criminais, comerciais e financeiros de um candidato a emprego e de utilizando todos os meios legais garantir que são não só os elementos ideais para a vaga mas acima de tudo que não representam uma vulnerabilidade para a empresa ou organização.


A nossa função na IntellCorp, tendo um perfeito e profundo conhecimento das vulnerabilidades que os indivíduos, empresas e organizações tradicionalmente apresentam, é garantir que a pesquisa é levada ao limite do possível e para além do que é realizada por empresas de Recursos Humanos ou pelas próprias empresas. Afinal, quem melhor qualificado do que os que toda a sua vida profissional lidaram com as sombras ou várias zonas de cinzento? Ninguém melhor do que nós, na IntellCorp.


Para saber mais envie-nos um email para intellcorp@protonmail.com. Para mais conteúdos siga as nossas actualizações também no LinkedIn, e também no Facebook e Twitter.



12 visualizações0 comentário